8.12.16

Uma idade para ser eternamente livre

... ou só um título bonito para falar dos 18 anos.

Oi, mundo!

O preço que se paga por não ser uma pessoa atrasada na "vida real", é ser uma pessoa atrasada com coisas particulares que são só suas e que você só deve satisfação a si mesma. O Luft entra na segunda categoria, infelizmente (junto com meu quarto). Eu passei varias noite de final de outubro e parte de novembro dizendo para vontade de escrever este post que não era hora e tentando acalmar meu impulso de escrever mesmo assim porque eu estava na vibe. E o preço que se paga por isso é quea gora estou atrasada e a vibe não quer voltar, e o que se paga por não escrever este post antes do aniversário de 18 anos é que agora tenho 18 anos há alguns dias e, surpresa!, nada realmente muda, porque não envelhecemos com data marcada, uma vez no ano. A gente envelhece todo dia, alguns mais outros nada.

Só que eu tenho 18 anos há muito poucos dias para virar uma dessas pessoas chatas que ficam "para quê? num muda nada" quando você é um ser com menos de 18, ou recém chegada a eles e quer usar a idade como argumento e motivo para qualquer coisa. A minha função aqui é falar o que eu espero desta bendita fase, então vou focar em cumprir ela. Coisa que eu achei que faria dois parágrafos atrás.

seria eu mesma?  (um gif pra separar o post e falar da minha vida)

Eu comprovei que a coisa mais importante para mim é liberdade. É autonomia e poder sobre si mesma. Os 18 são meio que uma promessa, que todo mundo sabe que falha, de liberdade. Mas ainda assim a gente continua dizendo "quando eu tiver 18 anos..." "eu não vejo a hora de ter 18 anos..."e quando se tem "Eu tenho 18 anos!!1!" como se isso resolve o mundo ou fizesse alguém te dar todo o crédito possível, mas não é bem assim. Não que eu não vá usar esse argumento pelo menos três vezes na semana nos próximos três meses porque se não, qual a finalidade?

Bem, primeiramente eu espero escrever post tão bons sobre idade como os da Giu.

Segundamente, espero parar de desrespeitar meus impulsos e acabar não escrevendo esse post um mês antes da hora por achar que num tava certo e agora, ser 07/12 e estar aqui "meu deus, que que eu fiz da minha vida pra chegar nesse ponto?" ~faz a dramática.

Ainda me iludo que a partir de agora vai ser mais sobre se sentir livre, independente, menos despreparada para lidar com as coisas de Vida Adulta TM. E menos sobre sentir que ainda precisa passar por algumas merdas, pra finalmente conseguir sentir que te levam a sério e poder fazer o que quiser.

Acho que o blog vai mudar. Porque uma parte de mim está um pouco "cresça" consigo mesma falando sobre os 18 anos. A gente cresce, né? E os últimos meses foram tão cheios, que eu sinto que cresci. 2016 foi muito sobre sentir e crescer, enfim.

Então o que eu espero dos 18 anos é liberdade. É sentir que vivo a vida que quero do melhor jeito possível. É em meio a correria que eu sei que essa idade vai ser, ainda conseguir parar e amar minhas pessoas e rir da vida, de mim e do mundo até a barriga doer. E fazer tudo isso em movimento também, quando não der para parar.

6.12.16

O dia do meu nome

Oi, eu estou viva. Eu acho.

E embora atrasada, aqui está o meu post sobre dia 25 de novembro de 206, meu aniversário de 18 anos. (Larissa, eu não fiquei devendo!)

Foi um dia incrível. Quando deu meia noite eu ainda estava no ônibus e tirei um print da hora porque sou boba. Quando eu tava descendo eu pensei "é assim que é a maioridade" e naquele momento eu realmente me senti com 18 anos, embora eu não saiba que sentimento é esse, exatamente.

Acordei muito cedo, mas me peguei rindo enquanto tomava banho.

Tive uma manhã um pouco como uma montanha russa no trabalho, mas no final deu tudo certo. E eu ainda consegui me sentir bem.

Tive uma tarde e uma noite maravilhosa.

Nunca ganhei tanto presente num dia só em toda a minha vida.  Eu ganhei flores! E depois ainda teve mais três  presentes"fora de hora". Ganhei muita planta também.

Fiz umas merdas, mas no fim, eu acho que consegui reparar tudo. E dizer como eu tava feliz, e como os presentes, e o gesto, e os abraços significaram tanto.

Foi tão bom que prolonguei até domingo.

Que na quarta eu tava comemorando com meus amigos cantando parabéns e com chapéu de festa infantil na cabeça.

Hoje faz um pouco mais de uma semana que tenho 18 anos, e que tive uma sexta linda, cheia de gente especial me fazendo bem e tentando fazer do meu dia, um dia mais feliz. Tentando me fazer sentir amada, e eu me senti.

Minhas pessoas que estão há quilômetros de distâncias, mas me abraçaram mentalmente, minhas pessoas que me abraçaram fisicamente. Minhas pessoas que talvez só me abraçaram na segunda. Minhas pessoas que me presentearam, ou que só me disseram que eu era especial ou que só me abraçaram.

Deu tudo certo e os 18 quebraram a maldição dos aniversários.

26.11.16

18 coisas que aprendi em 18 anos

Oi, eu tenho 18 anos.

Ok, confesso estava mais animada com isso no começo do mês do que estou agora porque novidade, nada mudou. E a gente continua aí. Vamos ver no que dá.

Pode ter sido por influência da Giulia, a pessoa mais ligada com datas, comemorações, dias, e idades que você respeita, pode ter sido obra do universo, mas há um tempo eu disse para mim mesma que faria esta listinha. Eu gosto de lista, de coisas que a gente aprende, de manter o Luft...

18 coisas que aprendi em 18 anos 

  1. A gente sabe cada vez menos o que tá fazendo com a própria vida;
  2. Viver importa e fazer a vida dos outros melhor também;
  3. É imprescindível amar a si mesmo. — A gente precisa aprender a apreciar todas as coisas maravilhosas que fazem da gente quem a gente é. E aceitar as coisas não tão bonitas e tentar mudá-las se julgar necessário;
  4. "Tudo passa, tudo sempre passará";
  5. A gente muda o tempo todo e tudo bem. Mudanças são boas. — Posso mudar de ideia sempre que eu achar necessário porque eu estou sempre em movimento;
  6. Ser eu mesma — Quem gosta vai gostar desse jeito e quem não gostar também, e tudo bem que seja assim, porque a gente sabe que num tem o que fazer;
  7. Sempre terá algo para ser melhorado;
  8. É bom ter coragem. E fé. 
  9. As coisas vão ficar bem. Vai dar certo.
  10. Autoconhecimento é importante em níveis inimagináveis. 
  11. A gente precisa a aprender a ser feliz sozinha. 
  12. Felicidade compartilhada é sempre melhor.
  13. Ter uma melhor amiga para sempre é uma experiência que muda completamente a gente e a vida.
  14. Pensar demais é pura cilada. 
  15. O caminho que a gente trilha e com quem a gente trilha muda quem a gente é. 
  16. Amizades fazem toda a diferença. Nos dias bons e nos dias ruins. 
  17. Ser mais gentil comigo mesma. 
  18. Às vezes as pessoas não nos amam como gostaríamos de sermos amados, isso não quer dizem que não amam e não quer dizer que temos que aceitar menos amor do que gostaríamos. 
Eu tinha me esquecido de como listas são boas e difíceis. E como eu sou indecisa.

Uma musiquinha:



***

Eu ando sumida, eu sei. Desculpa a todo mundo que ainda acredita em mim e no Luft pela falta de post. Mas a vida tem sido muito cheia mesmo. Vou tentar fazer o que dá para escrever e publicar tudo que eu disse pra mim mesma que faria. No meio tempo leiam meus continhos! Dia 22 publiquei Gabriel que foi maravilhoso de escrever e amaria que você lesse e me dissesse o que achou!  

E não, Gabriel não é inspirado em você nem em ninguém que você conhece. É uma história ficcional :) 

12.11.16

Desafio das 52 semanas - Tema 45 e Tema 46

Olá.

Considerações sobre o Tema 44 - "Meus vilões preferidos são": eu não sou uma pessoa de vilões. Não enquanto eles são vilões, pelo menos. Depois quando a desconstrução e aprofundamento do personagem começa, até vai e eu me apaixono em alguns casos *olá, Klaus*, mas ai eles deixam de ser, né?

Sobre o post duplo: é sábado a noite, eu queria estar no cinema, ou comendo alguma coisa fora de casa, mas estou sendo engolida pelo que chamam de vida adulta — hoje me disseram que estou oficialmente entrando nela —, e por três trabalhos. Me mandem sorte, inteligência, saúde, paz e calma, pois precisando.

Sobre a falta de outros assuntos no Luft: Eu juro que não é só vocês se incomodando, eu tenho três post planejados paras próximas semanas, e ainda vou tentar fazer eles viverem, mas não posso prometer. Mandem tempo e inspiração. É, tempo.

 Tema 45: Lembra minha adolescência


MTV: Da época que passava na TV aberta. Que eu conhecia os clipes e as músicas novas por lá. Ah os Top 10, e o poder de me fazer parar de odiar uma música depois de repetir ela na programação um total de 187489242 vezes ao dia. E me fazer enjoar pelo mesmo motivo.

Pop/rock: Eu não sei explicar paras outras pessoas, talvez eu tenha uma migo que entenda, mas tem uns estilos de músicas, umas certas sonoridades que me fazem lembrar da idade entre os 11 e os 14. Não é ruim, poderia ser melhor. Hoje em dia eu ainda ouço músicas e digo "seria algo que eu gostaria aos 13", esses dias eu disse" é como uma roupa que não serve mais ouvir essas músicas. não faz mais sentido". Não tenho certeza, mas acho que me disseram que "essa gente que escreve...".

Visual ruim: As coisas, graças a Deus, melhoram.

MSN: Ainda reconheço a música de notificação. Não vamos falar da breguice dos emoji, de chamar atenção, das mentiras para ficar online até tarde, do computador que travava tudo e a internet ruim, dos disparos no coração quando o/os crush chamava. Não vamos falar.

Internet fudida: Meu deus, que época difícil. Internet controlada por hora. Nada pegava, nunca. Repetindo: as coisas, graças a Deus, melhoram.

 Tema 46: Parece que tomo mundo sabe menos eu...


Nadar: Nós já falamos disso aqui antes, eu tenho certeza. Já falamos sobre eu ser uma hibrido de sereia que não nada, da contradição, de todas essas coisas... Um dia eu chego lá. Até lá, vamos continuar explicando porque não vou entrar na piscina e porque é melhor não me jogarem. E vamos aceitar convites para ir em parque aquático grande, lindo foda para sofrer(?!)

Andar de bicicleta: Também já falamos, não é? Gente, eu tive infância, eu andava, mas mesmo que não andasse teria tido. Se desaprende sim. Não, não é só sair pedalando. Vocês acham que não são chatos falando disso, mas em 90% dos casos, são sim. Beijo.

Lidar com o fato de que todo mundo fala demais: É contraditório. Vira e mexe eu digo que não me importo com o que os outros pensam, e verdade. Mas vira e mexe eu pego me importando, e mais ainda com o que eles falam. E não lido com o fato de que 90% das pessoas falam de mais, cuidam de mais da vida dos outros e dão palpite demais.

"Gente demais, com tempo demais
Falando demais, alto demais
Vamos atrás de um pouco de paz"

E a nova treta é "o que tenho perdido por causa disso?". Como lidar?

Jogar conversa fora com gente semi conhecida que você preferia nem encontrar: Cidades grandes podem ser um sonho. Eu não sei lidar com encontrar gente semi conhecida na rua e ter que falar mais do que oi. Devo aparecer super mal educada ou estranha, mas não sei perguntar da família se nem lembro o nome deles ou sei lá o quê. Mas eu tenho me esforçado para responder da minha sem parecer que quero evaporar dali.

Tomar decisões: Muito difícil. Quando eu sei o que quero ótimo, quando não sei, meu Deus. O que é melhor? O que vai ser melhor para mim? Como não levar oito shorts pro provador e não comprar nenhum? Como escolher outro sabor de sorvete? hauhaua

5.11.16

Desafio das 52 semanas - Tema 43: Músicas que não canso de ouvir

Engraçado fazer esse post exatamente no momento que tô repetindo várias músicas no Youtube e uma no Facebook porque tão boas e não canso ajdgkagdada

Até ano passado eu não tinha essa de música que não canso de ouvir, ano passado arranjei algumas. 2015 foi mesmo muito louco, mas, todavia, entretanto, eu me vicio demais em uma música, só que depois o tempo passa e a fase passa junto. E por milhares *exagero* de motivos já não se encaixa mais e não é a mesma coisa. A vida é cheia disso.

E eu não quero fazer o tema da semana (passada) como das outras vezes, não sei bem porque, então só vou falar dos meus vícios mais fortes do último ano. E defender o direito de gritar "meu deus a minha música!" para três músicas por dia ou mais.


Dá para começar a falar disso e não falar de Sugar?  A minha música, primeira de seu nome. E esse clipe? eles invadiram casamentos!! Tem um cara dançando break, gente!! A letra é boa, a melodia é boa, tudo é bom.





Bem, não dá para falar de vício sem falar de Impossible, num é mesmo? Musiquinha —que na verdade é um cover, mas que sempre esqueço — do James Arthur. Morro um pouquinho toda vez que ouço, desde que menina Gih, indiretamente, me apresentou essa música lá em meados de 2015. 

Me digam se tem como sobreviver a:

"Tell them all I know now
Shout it from the rooftops
Write it on the skyline
All we had is gone now.
Tell them I was happy
And my heart is broken
All my scars are open
Tell them what I hoped would be
Impossible, impossible"



I don't even know if I believe I don't even know if I BELIEVE EVERYTHING YOU TRYING TO SAY TO MEEE e ai entra o toquinho de acabar com a vida, para em seguida vir um trecho para nunca mais te deixar ser a mesma pessoa. ~faz a dramática.

Agora chega de falar de passado, vamos falar do meu vício supremo de 2016!!


Me dá uns tremelicos só de começar a ouvir. Melhor lyric que já foi criado, a voz da Halsey com esse moço do The Chainsmokers, eu fico !!!!akjdhudguID sei nem me expressar. Vamos tentar ir mais com calma:

A Halsey.
O The Chainsmokers.
Quatro anos e nenhuma ligação.
Você parece tão lindo quanto na primeira vez que eu te vi.
Nós nunca vamos envelhecer.
O toquinho maravilhoso dessa vida.
O lyric lindo com esse "bastidores" no fim!!!!

Eu fiz uma songfic dessa música porque não sabia lidar com "sei que partiu seu coração que eu me mudei para cidade grande. Quatro anos, nenhuma ligação." que que vocês esperavam? SEM CONDIÇÃO.

***

Menção especial ao cover de Send my love to you new lover do Boyce Avenue. A Chasing Cars na voz do Ed Sheeran que me faz sofrer há anos e Photograph.

22.10.16

Desafio das 52 semanas - Tema 42: Quer acertar no meu presente então me dê...

Olá, internet!

Eu achava que estava em dia com o desafio, mas de alguma forma estou uma semana atrasada, como isso aconteceu? 

Complicadinho falar de presentes, porque eu sou muito de lua, eu gosto de surpresas, não gosto de dizer o que quero ganhar, gosto que as pessoas decidam e resolvam sabe se lá como. Mas também não sou tão difícil, ganhar um presente já é algo bonito por si só. 

Tema 42: Quer acertar no meu presente então me dê... 


Camiseta com estampa legal: Eu adoro camisetas, eu adoro coisas conceituais, estampas, frases legais, desenhos etc Agora me diz se tenho algum número considerável de camisetas? Nadinha. Então, é tiro certeiro. 

Coisas feitas/com significados: Quando vou dar presentes, não gosto de simplesmente comprar algo e pronto, gosto de fazer, ou de alguma forma gastar tempo com aquilo, então quando recebo um presente que reflita isso gosto bastante. Quer dizer que você está disposto a gastar tempo e dinheiro. E com significado, porque coisas com significados <3 

Livros: blábláblá eu amo ler blábláblá tá, por que veio em terceiro? Porque ando sem lugar e sem ler muito, mas vocês me conhecem, ainda sou apaixonada por histórias. Histórias novas, sim, eu compro livros que já li, mas quando ganho quero ganhar um que não conheço, algo que a pessoa ache que eu vou gostar, que me fez lembrar de mim, que eu disse que queria ler... 

Algo vindo do coração: A gente pode fazer listas do que quer ganhar, ou comprar , mas ainda é muito especial de uma forma muito diferente quando alguém te dá algo que por algum motivo ela acha que é a coisa certa. Que faz sentido, que você vai gostar, que tem a ver contigo...

TAG: 7 Coisas

O que acontece quando o serumanuzinho está entendiado e sem ideia para post:

7 COISAS PRA FAZER ANTES DE MORRER

  • Conhecer um lugar do mundo que faça você se sentir pleno;
  • Sentir que o melhor lugar do mundo é um abraço;
  • Amar profundamente alguém;
  • Se achar uma das pessoas mais legais que você jamais vai conhecer;
  • Viver de todo coração;
  • Sentir se livre como nunca antes;
  • Descobrir o gosto que tem a coragem.

7 COISAS QUE FAÇO BEM

  • Escrever (nas raras vezes que escrevo e tal);
  • Torta;
  • Sonhar acordada;
  • Abraçar;
  • Conversar;
  • Ser eu mesma;
  • Companhia.

7 COISAS QUE ME ENCANTAM

  • Boas histórias;
  • A beleza em momentos passageiros em um dia qualquer numa rua qualquer;
  • O amor;
  • A gentileza;
  • A liberdade;
  • As palavras;
  • Os sonhos e as possibilidades.

7 COISAS QUE NÃO FAÇO BEM

  • Falar em público/para uma platéia;
  • Temperar  sem medida (na maioria das vezes não fica igual ao que deveria);
  • Esconder ou fingir;
  • Rebolar a bunda (é triste)
  • Tomar decisões (talvez até acabo tomando uma ou outra boa, mas sofro demais para escolher/decidir as coisas);
  • Dieta e exercício.
  • Ter postura.
(o que foi maís difícil falar o que faço bem ou o que não faço?)

7 COISAS QUE NÃO GOSTO

  • Mentir;
  • Que cuidem da minha vida;
  • Quando fico ansiosa;
  • Me sentir presa;
  • Que tentem mandar em mim;
  • Injustiça;
  • Crueldade/ violência.

7 COISAS QUE MAIS FALO

  • "desculpa o caps"
  • "Enfim"
  • "Num sei"
  • "Sei lá"
  • "Esqueci"
  • "Num sou obrigada"
  • "Gente" (o tempo todo essa)
(ainda sem saber se é falar falar ou falar escrevendo).

7 COISAS QUE AMO


  • Conversas/ estar com minhas pessoas;
  • Abraços;
  • Sensação de segurança e conforto;
  • Histórias;
  • Comida;
  • Fazer coisas com as mãos; (aquela coisa bem das artes)
  • Manhãs que te dão paz/tranquilidade.

TAG retirada daqui e daqui.